quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Uma espécie de intervalo

Já muitos perceberam que este blog anda meio abandonado. Os afazeres profissionais, agora que as eleições já se foram, avolumaram-se. Há muito trabalho pela frente. Por esse motivo, apesar de não querer encerrar definitivamente este blog, quis vir dizer aos meus poucos leitores que só virei cá sempre que me for possível e se justifique, mas não espero obviamente que esperem por isso. Fica, pois, o abraço e o agradecimento pelas visitas feitas e um até sempre, se não for antes.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Polidesportivo de Merouços já foi inaugurado - Santo Tirso

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, deslocou-se no sábado, dia 3 de Outubro, à Freguesia de S. Cristina do Couto, onde, acompanhado pela Vereadora Ana Maria Ferreira, pelo presidente da Junta de Freguesia de S. Cristina do Couto, Jorge Gomes, e por várias centenas de populares da freguesia, procedeu à inauguração das obras de requalificação do Polidesportivo de Merouços, em S. Cristina do Couto.

Os trabalhos de requalificação deste importante equipamento desportivo da Freguesia de S. Cristina do Couto – apoiados em mais de 112 mil euros pela Câmara Municipal de Santo Tirso – consistiram, numa 1ª fase, na execução de trabalhos de beneficiação do edifício dos balneários e posteriormente na requalificação de toda a área envolvente, com a pavimentação das áreas envolventes ao campo, beneficiação dos muros de vedação e entradas, na execução de redes de drenagem de águas pluviais, abastecimento de água e instalação eléctrica.

A intervenção na área de jogo consistiu na aplicação de um pavimento em relva sintética, além de outros equipamentos como bancos para suplentes, balizas e redes.

http://www.metronews.com.pt

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

5º Aniversário do CNO da Câmara Municipal - entregues mais 387 certificados

18-09-2009


Foi com música, decoração a rigor e o átrio da Câmara Municipal cheio que se iniciou ao final da tarde do dia 17 de Setembro, a cerimónia de comemoração do 5º aniversário do Centro Novas Oportunidades (CNO) da Câmara Municipal de Santo Tirso. A cerimónia ficou também assinalada pela entrega de mais 387 certificados – 257 de nível básico, 68 de nível secundário e 62 de formações modulares certificadas (inglês, francês e informática).

Entre as congratulações aos formados, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, sublinhou a importância deste projecto e do empenho de cada um. “Vocês são jovens. São vocês que vão fazer o Portugal no futuro e Portugal precisa de vocês”, acentuou o autarca. “Hoje em dia, a aprendizagem faz-se ao longo da vida e para toda a vida”, acrescentou o presidente da Edilidade Tirsense, incentivando a continuidade da formação. “Se muitos de vocês não tinham o 9º ou 12º ano foi porque as vossas famílias não tiveram as condições para tal, e o primeiro repto que vos faço é que não parem. Continuem. Não fiquem por aqui. Muita gente foi tirando o 9º ano, avançou para o 12º e acabou licenciada”, apelou Castro Fernandes. Numa altura em que a formação e o emprego foram as palavras de ordem, o autarca apresentou ainda como exemplo o caso da Portugal Telecom (PT) e da recente inauguração no concelho das instalações do Centro de Relacionamento com o Cliente da PT. “Está aí o Call Center da PT, já seleccionou muitas pessoas, e foi o próprio presidente da PT que afirmou que, até ao final do ano, vão empregar 900 pessoas”, acrescentou. “Daqui a alguns anos, não ter o 12º ano vai ser um problema grave”, sublinha Castro Fernandes apelando à continuidade da formação.

A cerimónia contou ainda com a presença do Director-Adjunto da Direcção Regional de Educação do Norte, António Leite. “Se olharmos à volta, neste município vemos várias provas dadas, muitos exemplos conseguidos”, afirmou o director-adjunto. Depois de elogiar a iniciativa implementada e desenvolvida em Santo Tirso, António Leite referiu que “hoje, mais de 900 mil pessoas em todo o país estão certificadas pois decidiram abraçar este projecto e avançar”. “Esta iniciativa procura repor a justiça às pessoas que, na altura, não tiveram oportunidade de o fazer. É o direito à educação. É repor a justiça mas também estimular o desenvolvimento. Esta iniciativa procura inverter a elevada taxa de analfabetismo existente no nosso país”, adiantou António Leite. O director-adjunto defendeu também que “todos nós merecemos uma vida melhor e temos obrigação de lutar por isso”.

Ana Maria Ferreira, Vereadora da Educação e também Directora do CNO, não podia deixar de estar presente na cerimónia de comemoração do 5º aniversário do Centro e defendeu que a “existência do CNO da Câmara Municipal de Santo Tirso tem sido pautada pelo rigor e pelo profissionalismo”. “Quando em 2004 abrimos as portas, tínhamos um projecto audacioso. Tive o privilégio de acompanhar o momento em que os primeiros adultos foram certificados e foi nessa altura que percebi a importância do projecto”, adiantou. “Estes diplomas representam o trabalho árduo de quem tem que conciliar o trabalho com a família”, defendeu a directora do CNO concluindo que “vale a pena apostar nas pessoas e vale a pena apostar no seu saber”.

A cerimónia, que contou com a actuação musical do quinteto Blaserquintett (Liliana Leal na flauta transversal, Marta Pacheco no oboé, Paulo Carneiro no clarinete, Paula Coelho no Fagote e Nuno Silva na trompa) terminou com a música dos “Parabéns” e a abertura de um bolo dedicado à efeméride.

O Centro Novas Oportunidades da Câmara Municipal de Santo Tirso iniciou a sua actividade em Agosto de 2004 com o nível básico (até ao 9º ano), sendo a sua intervenção alargada ao nível secundário (12º ano) em Março de 2007.

A Câmara Municipal de Santo Tirso foi o segundo município do país a promover um Centro Novas Oportunidades. Actualmente são quatro os municípios que têm um CNO em funcionamento – Mação (2003), Santo Tirso (2004), Miranda do Douro (2006) e Lisboa (2006).

Ao longo do tempo, várias têm sido as parcerias e protocolos estabelecidos com diferentes entidades e instituições, nomeadamente: Associação Comercial e Industrial de Santo Tirso; Centro de Formação Sebastião da Gama; Escola Profissional Agrícola Conde de S. Bento; Escola Secundária Tomaz Pelayo; Associação de Solidariedade e Acção Social de Santo Tirso (ASAS); Cruz Vermelha; Irmandade e Santa Casa da Misericórdia de Santo Tirso; ACIST; CH Consulting; Conforturis; Euveo; Formaconde; Organik; Planeta Informático.

Fruto destas parcerias, dezenas de adultos têm realizado diversas formações modulares certificadas, nomeadamente em Informática, Inglês e Francês. Estão também previstas, nas instalações do Centro, formações em Legislação Laboral e Primeiros Socorros.

Desde 2005 que o Centro funciona em regime de itinerância, ou seja, desloca-se à zona de residência e/ou ao local de trabalho dos adultos, de modo a que estes possam frequentar o processo de RVCC. Entre Juntas de Freguesia e outras empresas, existe um total de 25 itinerâncias.

Na totalidade, até ao momento, inscreveram-se 4745 adultos no CNO da Câmara Municipal de Santo Tirso. Destes candidatos, 3580 (75%) referem-se ao Nível Básico e 1165 (25%) ao Nível Secundário. Até agora foram certificados 1561 adultos.

A maioria concluiu o 3º ciclo do ensino básico, referente ao 9º ano (1316 adultos), seguindo-se a conclusão do ensino secundário, referente ao 12º ano (133 adultos). De todos os inscritos, 2429 são mulheres (51%) e 2316 são homens (49%). Tendencialmente, no Nível Básico inscrevem-se mais mulheres (53%) do que homens, mas o mesmo não se verifica para o Nível Secundário em que os homens representam 54% dos inscritos. De referir ainda que 20% dos formandos do CNO da C M de Santo Tirso são de fora do concelho.

O CNO da Câmara Municipal de Santo Tirso – a funcionar nas antigas instalações da Biblioteca Municipal junto ao Parque D. Maria II - dirige-se a jovens e adultos, maiores de 18 anos, com ou sem actividade profissional, e que não tenham a escolaridade mínima equivalente ao 4º, 6º, 9º ou 12º anos.

http://www.cm-stirso.pt/

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Segundo Ciclo de Jazz regressa a Santo Tirso com um concerto de Demian Cabaud

Promovido pela Câmara Municipal de Santo Tirso, o Segundo Ciclo de Jazz do Centro Cultural de Vila das Aves (CCVA) regressa em Setembro com o concerto do contrabaixista argentino Demian Cabaud. O espectáculo decorre na próxima sexta-feira, dia 18, às 21h30, no CCVA. Depois das actuações do guitarrista Pedro Madaleno (Fevereiro), do baterista João Lencastre (Abril) e do pianista Rui Caetano (Junho) a segunda edição do Ciclo de Jazz recebe Demian Cabaud. No concerto, o contrabaixista será acompanhado por Jure Pukl (no saxofone) e Marcos Cavaleiro (na bateria), interpretando algumas composições originais entre incursões pela improvisação.

Demian Cabaud nasceu em Buenos Aires, Argentina, em Dezembro de 1977. Iniciou os seus estudos musicais, em 1996, no Instituto Tecnológico de Musica Contemporânea (Buenos Aires), onde completou o curso de Música Popular Americana, em 1999. Em 2000, começou a estudar contrabaixo com Hernan Merlo e, no ano seguinte, com o maestro Miguel Angel Villaroel, 1º contrabaixo da Orquestra Filarmónica de Buenos Aires. É, no entanto, neste ano que recebe uma bolsa de estudo da Berklee College of Music, Boston, EUA, onde obteve o seu Diploma em Professional Music em 2003. A sua experiência como contrabaixista inclui actuações em diferentes festivais de jazz realizados na Europa e nos Estados Unidos. A residir em Lisboa desde 2004, Demian Cabaud é membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos e é colaborador habitual da cantora Maria João. Participou na gravação de vários discos e, como líder, editou em 2008 o CD Naranja. O seu segundo álbum sairá ainda este ano.

Programado por José Carlos Santos, a primeira edição do Ciclo de Jazz teve início em 2008, com o concerto da cantora Sofia Ribeiro e o contrabaixista Gui Duvignau. No âmbito desta iniciativa, passaram também pelo palco do Centro Cultural de Vila das Aves, no ano passado, o quinteto do contrabaixista galego Xacobe Martínez Antelo e o Quarteto de Demian Cabaud. A Segunda edição do Ciclo de Jazz iniciou-se em Fevereiro deste ano com a actuação do guitarrista Pedro Madaleno, seguindo-se os concertos de João Lencastre Group e de Rui Caetano Trio.

www.metronews.com.pt

domingo, 6 de setembro de 2009

Armindo Araújo é Campeão do Mundo!

O piloto português Armindo Araújo (Mitsubishi) sagrou-se hoje campeão mundial de ralis na categoria de Produção, mas ainda à condição, já que existe um recurso de um rival por decidir. "É extremamente saboroso e é um dia fantástico para mim", contou o piloto à TSF. Armindo Araújo e o co-piloto Miguel Ramalho já começaram a festejar o título. No entanto, o título só será oficial se o apelo que Nasser Al-Attiyah interpôs à sua desclassificação no Rali da Acrópole não for resolvido a favor do piloto do Qatar. A decisão deverá ser conhecida a 6 de Outubro. "Neste momento somos campeões do mundo. Sabemos que estamos dependentes de uma decisão do Tribunal de Apelo, mas nós cumprimos com o que precisávamos. A decisão da FIA foi a desclassificação, os relatórios dizem que o carro [de Al-Attiyah] está ilegal, pelo que acredito que o Tribunal de Apelo manterá a decisão e temos confiança que isso possa suceder”, disse Armindo Araújo, citado pela sua assessoria de imprensa.

Público

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Cultura e tradição em destaque em Santo Tirso

É já no próximo dia 6 de Setembro (domingo), que o Parque Urbano da Rabada (Burgães) recebe a terceira e última etapa do XXIII Festival de Folclore Concelhio. Esta terceira parte do evento arranca às 15 horas e conta com a participação dos seguintes seis grupos folclóricos do concelho:

Ordem de actuações:

Grupo Etnográfico de São Paio de Guimarei

Grupo Folclórico de S. Martinho do Campo

Rancho Folclórico Rosas de S. Miguel de Vilarinho

Grupo Folclórico de Santa Cristina do Couto

Grupo Folclórico Santo André

Grupo Etnográfico de Santa Maria de Negrelos

Depois de realizadas as duas primeiras partes do Festival – primeiro a 21 de Junho no Parque D. Maria II com a participação de seis ranchos e depois a 9 de Agosto no Parque Urbano da Rabada com a actuação de quatro grupos - chega assim ao fim a 23ª edição do Festival de Folclore Concelhio de Santo Tirso, evento que pretende manter viva a tradição, promovendo os cerca de 20 ranchos ou grupos folclóricos sedeados no concelho.

http://www.metronews.com.pt

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Concurso Concelhio de Melão - Santo Tirso

No próximo sábado, dia 22 de Agosto, decorre no Parque D. Maria II a partir das 15 horas, mais uma edição do Concurso Concelhio de Melão “Casca de Carvalho”, certame que é promovido anualmente pela Câmara Municipal de Santo Tirso com o objectivo de incentivar a produção, melhorar a qualidade e promover comercialmente este produto da terra, genuíno da região de Entre Douro e Minho. Como é já tradição participam neste importante evento gastronómico os produtores (proprietários ou arrendatários de exploração agrícola) cujos locais de produção se integrem na área geográfica do Concelho de Santo Tirso. E à semelhança dos anos anteriores, cada produtor só pode concorrer com um exemplar no certame.

Programa:

15h00 - Abertura da Feira/Venda de Melão “Casca de Carvalho”
16h00 - Degustação pelo Júri de Classificação
17h00 - Actuação do Rancho Folclórico de Santa Eulália de Lamelas
19h00 - Divulgação dos Premiados do Concurso

http://www.metronews.com.pt

sábado, 8 de agosto de 2009

«Burgães»: Castro Fernandes inaugurou obra feita

No local da inauguração onde foi descerrada simbolicamente pelos Presidentes da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de Burgães a lápide com o nome da rua. Logo de seguida o Presidente Fernando Rego, usou da palavra para agradecer o trabalho realizado ao longo deste mandato pela Câmara Municipal, salientando a concretização e melhoramento de 17 ruas da Freguesia, assim como a iluminação 16 de outras tantas, mais ainda a realização da alteração e ampliação na rede de água, a construção da capela do cemitério, assim como algumas alterações pontuais de diversas ruas, no sentido de tornar as acessibilidades com maior qualidade.



De seguida o Presidente Castro Fernandes aproveitou a ocasião para divulgar a conclusão de algumas estruturas e projectos em fase adiantada de conclusão, como:

- Arranque da ponte pedonal que ligará a cidade ao parque urbano da rabada, terá um investimento de 10 milhões de euros, e o prazo de construção de dois anos.

- Foi anunciado também o inicio da ampliação do cemitério de Burgães que terá um custo que rondará os 150 mil euros.

- O Presidente continuou a enumerar as diversas obras, informando de seguida a inauguração do novo serviço de urgência do hospital de Santo Tirso, marcada para o próximo dia 06 de Agosto.

- Em fase de arranque estão as esperadas obras de reestruturação do cine teatro da cidade de Santo Tirso.

- Mais um grande investimento do Concelho foi contemplado com o anúncio da sua abertura, falamos do call center, que tem anunciado o seu inicio para o dia 18 de Agosto, com realização de um estágio para formação dos primeiros trabalhadores dos futuros 1200, que preencheram a estrutura do call center.

www.santotirsodigital.com

Câmara Municipal apresenta imod – nova incubadora de negócios criativos representa investimento de 4 milhões e 127 mil euros

“O nosso objectivo é dinamizar a cidade na sequência de várias candidaturas que temos vindo a apresentar”, afirmou Castro Fernandes na apresentação pública da “iMOD – Inovação, Moda e Design”, a nova Incubadora de Negócios Criativos a implantar nas instalações da antiga Fábrica do Teles e que deverá representar um investimento de 4 milhões e 127 mil euros.

“Este conceito de indústria criativa é um conceito muito recente em Portugal”, adiantou o presidente da Câmara de Santo Tirso, esclarecendo que o concelho tem uma “posição central” por diversas razões, nomeadamente pelo facto de “ter muitas e boas indústrias de vestuário e por a Autarquia ser proprietária da antiga Fábrica do Teles”. Ganha assim forma o novo Quarteirão Cultural da Fábrica do Teles, depois de ter entrado em funcionamento a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica e depois de ter sido já garantido o financiamento para a construção de uma Nave Cultural e para o arranjo da Frente Ribeirinha da Fábrica do Teles, no âmbito da Parceria de Regeneração Urbana (PRU). Segue-se agora a criação da iMOD, a nova Incubadora de Negócios Criativos.

Assente numa “base sustentada”, como assegura o autarca, “este projecto pretende criar uma certa unicidade, permitindo responder às necessidades de revitalização do tecido empresarial local”. A iMOD vem dar conformidade à estratégia que tem vindo a ser estabelecida com projectos como a PRU, a remodelação da antiga Fábrica do Teles e a candidatura “Inventar a cidade”. A presente candidatura enquadra-se na Agenda Temática Prioritária para as Indústrias Criativas da iniciativa Norte 2015 promovida pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) e articula-se com o Pólo de Competitividade de Moda e com a associação Fashion Cluster Portugal recentemente criada. Também presente na apresentação pública, Elisa Babo (responsável da empresa contratada para o projecto) explicou que o objectivo deste projecto é “por um lado, trabalhar e promover a ligação com a indústria e, por outro lado, desenvolver as práticas dinâmicas e culturais do concelho”, sempre com o intuito de “cultivar o empreendedorismo”. “Queremos trazer a cidade para este quarteirão cultural”, rematou acrescentando que se trata, de facto, “de um conceito de incubação diferente que associa a incubação de empresas e de projectos criativos a um espaço de convívio, de consumo cultural e de produtos de moda e de design”.

Enquanto incubadora, a “iMOD” concentrará as suas actividades criativas no sector da Moda. Para além dos espaços e dos serviços que se disponibiliza a oferecer às empresas e projectos que sejam admitidos para incubação. Propõe-se:

- Alavancar a capacidade das próprias empresas ou projectos incubados, fornecendo condições de escala na prestação de serviços de valor acrescentado – design de moda e outras serviços criativos, a outras empresas, designadamente, do sector do têxtil e do vestuário.

- Facilitar a comercialização no mercado final de produtos e serviços criativos das empresas e projectos incubados através de espaços comerciais próprios e da venda on-line.

- Apoiar a comunicação e promoção de produtos e serviços criativos das empresas e projectos incubados através de produção de “eventos de moda” e de acções de comunicação regulares.

- Desenvolver em parceria com parceiros estratégicos serviços de valor acrescentado nos domínios da formação, do marketing e comercialização e da comunicação, fundamentalmente orientados para o mercado da Moda e para o sector têxtil e do vestuário, contribuindo deste modo para a inovação e o reforço da competitividade destes sectores.

- Criar um “Laboratório de saberes/fazer tradicionais”, integrando áreas de produção artesanal e áreas profissionais tradicionais.

No estudo de benchmarking desenvolvido, e que possibilitou a visita a algumas experiências semelhantes, surgiu já a possibilidade de estabelecer parcerias internacionais com incubadoras de artes criativas, duas em Paris (Les Ateliers de Paris e CENTQUATRE) e outra em Lille e Roubaix (Maison de Mode). A Maison de Mode, no caso de Lille, onde se encontra o edifício-sede, inclui escritórios, a incubadora, a loja multimarcas, uma sala de exposições e as áreas técnicas (ateliers de costura/prototipagem, etc). O espaço de incubação “Les Ateliers de Paris” é limitado a 6 ateliês, sendo complementado por vários espaços de formação e uma ampla área de exposição. Por último, o “CENTQUATRE” (104) é um espaço aberto à produção e criação artística contemporânea, um “anti-museu” como os seus responsáveis gostam de o apresentar, que dispõe de vários ares de ateliês para residências artísticas.

É principal parceiro deste projecto a ESAD – Escola Superior de Artes e Design com a finalidade de contribuir para o reforço das competências e da capacidade técnica da nova estrutura e desenvolver formação nas suas áreas de competência. São igualmente parceiros a ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal e o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE), com o que se pretende a valorização do seu conhecimento e know-how específico e a ligação global às empresas do sector, em termos de facilitação e desenvolvimento de processos de clustering e de networking, nomeadamente, no desenvolvimento de um mercado intermédio de prestação de serviços dos criativos incubados junto das empresas do sector têxtil e do vestuário. A Universidade Lusófona do Porto deverá fomentar a formação pós-graduada em domínios como o jornalismo de moda. A parceria com a Inovcapital, BETA e Vima Angels, possibilitará ainda a ligação preferencial ao sector financeiro mais especializado no apoio ao empreendedorismo e aos novos projectos empresariais spin-off e star-up’s).

www.santotirsodigital.com

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Inauguração da avenida abade pedrosa - S. Cristina do Couto

241 Mil euros de investimento camarário
O Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, desloca-se no próximo sábado, dia 1 de Agosto, à Freguesia de Santa Cristina do Couto, onde a partir das 15h00, procede à inauguração da “Avenida Abade Pedrosa”.
A empreitada consistiu na requalificação do arruamento existente, realizando-se para o efeito a pavimentação da faixa de rodagem em tapete betuminoso e criando-se uma zona de circulação pedonal em toda a sua extensão, constituída por lancis de granito e pavimento de cubos de granito.
A empreitada contemplou igualmente trabalhos de movimentos de terra e execução de muros, incluídos nos alargamentos realizados para a criação da zona de circulação pedonal, e instalação de infra-estruturas de águas pluviais e eléctricas. A Câmara Municipal de Santo Tirso investiu na requalificação desta avenida de Santa Cristina do Couto um total de 241 mil euros.

www.santotirsodigital.com

Inauguração da rua do Outeiro - Burgães

82 Mil euros de investimento camarário
O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, desloca-se no próximo sábado, dia 1 de Agosto, à Freguesia de Burgães para inaugurar, a partir das 11 horas, a Rua do Outeiro (2ª fase).
Os trabalhos realizados no âmbito da segunda fase desta empreitada – que custaram à Câmara Municipal de Santo Tirso cerca de 82 mil euros – consistiram na beneficiação do arruamento, realizando-se para o efeito a pavimentação do arruamento em cubos de granito e a instalação de infra-estruturas de drenagem de águas pluviais.

www.santotirsodigital.com

Inauguração do arruamento junto à Quinta do Penedo «Santo Tirso»

132 Mil euros de investimento camarário
O Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, desloca-se no próximo sábado, dia 1 de Agosto, ao limite da Freguesia de Santo Tirso, onde a partir das 17h00, procede à inauguração do “Arruamento Junto à Quinta do Penedo”.
Os trabalhos realizados no âmbito da empreitada em epígrafe destinaram-se à beneficiação do arruamento junto à Quinta do Penedo e incluíram a rectificação do traçado do arruamento de forma a garantir um perfil com sete metros de largura, seis metros de faixa de rodagem e um metro de valetas (com a excepção de um troço com 20 metros de comprimento em que era inviável a rectificação do arruamento dadas as construções existentes), a execução de infra-estruturas de drenagem de águas pluviais e pavimentação do arruamento em cubos de granito em toda a extensão da intervenção.Neste novo arruamento, onde foi também requalificada a rede de iluminação pública, investiu a Câmara Municipal de Santo Tirso cerca de 132 mil euros.

www.santotirsodigital.com

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Armindo Araújo estreia Evo X em Portugal

21 Julho 2009 14:43

Armindo Araújo já garantiu a presença no Rali Centro de Portugal, segunda prova de asfalto do campeonato português de ralis. Mas ao contrário do que aconteceu no ano passado, em que esteve presente na prova do Clube Automóvel da Marinha Grande ao volante de um Mitsubishi Lancer Evo X de série, como carro de segurança, o piloto de Santo Tirso vai competir “à séria” naquela que será a primeira vez que Araújo vai guiar a versão de competição numa prova oficial.

Ao contrário do que é habitual, o português não vai correr com a sua equipa, a Ralliart Italia, mas sim com a formação espanhola da RMC. “Para mim é muito importante, pois é a possibilidade de testar o Mitsubishi Lancer Evo X em condições de corrida, o que permite ficar com um conhecimento mais aprofundado do carro em competição. Estou muito satisfeito e espero poder brindar o público com um bom espectáculo”, disse Araújo.

Depois dos testes realizados já este mês em Itália, aos quais o Autohoje deu ampla cobertura, o piloto da Mitsubishi Portugal decidiu que irá à última prova do ano do Mundial de Produção com o novo carro. Mas, como também já tornou público, Araújo quer manter o ritmo competitivo até Novembro, altura em que se realiza o Rali da Grã-Bretanha. A isso se deve esta presença no Rali Centro de Portugal.

http://desporto.autohoje.com/

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Vila das aves fora dos lugares elegíveis para possível vereação do PSD

Na passada 5ª feira, 16 de Julho, foram tornados públicos os cinco primeiros nomes da lista do PSD candidata à câmara municipal, são eles:

JOÃO ABREU
ALÍRIO CANCELES
MAFALDA RORIZ
MÁRIO RORIZ
CARLOS PACHECO

Para grande surpresa, registamos a ausência de Vila das Aves no elenco social-democrata em posição elegível, tal é a consideração e importância do PSD, pelo segundo maior pólo urbano do Concelho.

www.santotirsodigital.com

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Reconstrução do Cine-Teatro vai avançar

Está desbloqueada a reconstrução do cine-teatro de Santo Tirso: encontrado um parceiro privado para o investimento, as obras já podem avançar. A adjudicação do consórcio foi aprovada pela Assembleia Municipal. Após esbarrar na falta de apoio do Estado, no insucesso de candidaturas a fundos comunitários e num concurso público internacional que "obrigou a prazos e audiências prévias muito alargados", o cine-teatro de Santo Tirso vai, agora, poder ser resgatado a um abandono de duas décadas, ao qual apenas a fachada resistiu. A entidade privada vencedora do concurso foi anteontem apresentada à Assembleia Municipal, que aprovou a proposta por larga maioria. Era o passo que faltava para a constituição de uma parceria público-privada. Esta ficará assente numa sociedade comercial que inclui o consórcio privado e a autarquia e que irá construir, além do cine-teatro, os novos estaleiros municipais, remodelar a piscina municipal e requalificar o mercado municipal. Quatro "investimentos prioritários" que vão ser possíveis graças a "uma verdadeira solução de engenharia financeira, mas que cumpre a Lei das Finanças Locais", disse o presidente da Câmara Municipal, Castro Fernandes.
O primeiro equipamento a avançar será o cine-teatro, cujo projecto de arquitectura está concluído. O arranque da obra será "para muito breve", referiu o autarca, escusando-se, contudo, a concretizar prazos. Orçada em perto de 9 milhões de euros, a empreitada inclui a construção de uma nova estrutura a partir da frontaria - desenhada nos anos 50 do século XX - do edifício, situado no centro da cidade, ao lado do Tribunal. Há dois anos, quando o projecto de reabilitação do antigo cine-teatro da cidade foi apresentado à população e 2009 apontado como ano de conclusão da obra, Castro Fernandes debatia-se com o problema de obtenção de financiamentos. O apoio não chegou e a intervenção ficou adiada. Prometido ficou, porém, que o concelho - que não dispõe de um auditório municipal - teria uma "verdadeira casa da cultura". O futuro equipamento terá duas salas - um auditório principal com 300 lugares e outro de 120 - e capacidade para acolher espectáculos teatrais, dança, concertos, desfiles de moda ou conferências. Terá ainda um café-oncerto e galerias de exposições.

Jornal de Notícias

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Credores da Camac aprovam plano de viabilização

Os credores da Camac aprovaram hoje o plano de viabilização da empresa de pneus, que prevê um investimento do Estado de quatro milhões de euros, estando o reinício da actividade previsto para Setembro.
"É uma nova esperança para os trabalhadores, sendo expectável que, numa primeira fase, a Camac empregue 110 trabalhadores", afirma Justino Pereira, do Sindicato dos Trabalhadores da Química, Farmacêutica, Petróleo e Gás do Norte (Sinorquifa).

De acordo com o Justino Pereira "a expectativa é que, ao fim de seis meses, a Camac possa estar a laborar com 250 trabalhadores, mas tudo vai depender da evolução do mercado".

O delegado do Sinorquifa explicou que, na assembleia de credores, a administração da Camac deu garantias de que "a entrada de um novo parceiro está quase concretizada".

A entrada de um parceiro industrial ou financeiro foi a principal condição imposta pelo Ministério da Economia para investir, através de capital de risco, quatro milhões de euros na única produtora portuguesa de pneus, com sede em Santo Tirso.

O novo parceiro, industrial ou financeiro, terá de investir um milhão de euros na Camac.

A empresa suspendeu a actividade há dez meses, quando a desvalorização da libra agravou a saúde financeira da Camac, que se agravava de ano para ano. O mercado inglês era o principal cliente da empresa portuguesa, absorvendo dois terços da produção.

A Camac acumula dívidas de 4,7 milhões de euros aos fornecedores e aos 290 trabalhadores.

"Apenas 23 trabalhadores rejeitaram o plano de viabilização da empresa, o que prova que estão confiantes no futuro da Camac", acrescenta o representante dos trabalhadores.

Diário Digital / Lusa

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Junta de Freguesia da Vila de S. Tomé de Negrelos junta os ex-combatentes da Freguesia num convívio

A Junta de Freguesia da vila de S. Tomé de Negrelos vai realizar no próximo sábado, dia 27 de Junho o 1.º Convívio dos ex: Combatente de Negrelos, o evento terá o seguinte programa:

11 Horas – Concentração junto da Igreja Paroquial;

11, 30 Horas – Missa em sufrágio pelos ex: Combatentes falecidos e de Acção de Graças pelos restantes. Será celebrante o Padre Vicentino, Padre Manuel Carlos Andrade de Moura, natural de Negrelos.

Segue-se uma romagem ao Cemitério Paroquial.

13 Horas – Almoço – Convívio – Festa, no recinto da aprazível Quinta de Quintão.

www.santotirsodigital.com

Festas de S. Bento em Santo Tirso, de 8 a 12 de Julho de 2009: Com Tony Carreira e João Pedro Pais

TONY CARREIRA E JOÃO PEDRO PAIS SÃO CABEÇAS DE CARTAZ

As tradicionais Festas de S. Bento, uma romaria pagã, voltam este ano a ser recordadas e celebradas como já vem sendo hábito. Com um programa preenchido com actividades diversas, o destaque vai para a actuação de João Pedro Pais (dia 10) e de Tony Carreira (dia 11). Este ano, a novidade é o Cortejo Etnográfico que decorre no dia 12 de Julho (domingo), às 15h00, e que vai permitir festejar e relembrar vivências e tradições antigas.


As Festas de S. Bento chamam anualmente à cidade de Santo Tirso devotos de todos os cantos do país. O programa das festas – que, este ano, decorrem entre o dia 8 e 12 de Julho – está repleto de actividades, onde o sagrado e o profano se interligam. Concertos diários, animação de rua, actividades desportivas, cerimónias religiosas, coroação da Rainha e da Princesa do Vinho Verde e exposições são alguns dos destaques destes cinco dias de festa.

MILHARES DE PEREGRINOS VENERAM S. BENTO

No dia 11 de Julho, como já é tradição, milhares de peregrinos, oriundos das freguesias de Santo Tirso e dos concelhos limítrofes, dirigem-se à Igreja Matriz de Santo Tirso para venerarem São Bento. Logo a partir das 5 horas, as estradas e vias enchem-se de caminhantes que vão cumprir as suas promessas. Perante este anormal fluxo de pessoas (ainda por cima tratando-se de um sábado, feriado municipal), a Câmara Municipal vai solicitar vai solicitar à PSP, GNR, PM e aos Bombeiros o reforço de meios no terreno. A devoção a S. Bento é milenar e manda a tradição que as promessas ao santo devem ser pagas com cravos brancos, ovos ou sal, já que grande parte da sua popularidade se ficou a dever à cura de verrugas ou “cravos” na pele, e ainda ao auxílio que prestava aos partos difíceis…

CERIMÓNIAS INSTITUCIONAIS
No âmbito das comemorações do 24º Aniversário da Cidade de Santo Tirso decorre a já tradicional cerimónia de Recepção Oficial às Delegações das Cidades Geminadas, este ano com um Concerto Comemorativo que decorre no dia 8 de Julho (quarta-feira), às 21h30, no Auditório Municipal do Museu Abade Pedrosa, e ainda a Eleição da Rainha e da Princesa do Vinho Verde (quinta-feira, dia 9, às 21h30, no Largo Abade Pedrosa), numa iniciativa em que também participam as comitivas dos municípios geminados com Santo Tirso. Este ano, a novidade é o Cortejo Etnográfico que decorre no domingo, dia 12, às 15h00.

PONTOS ALTOS NA ANIMAÇÃO MUSICAL
No que se refere à animação musical das Festas de S. Bento destaca-se João Pedro Pais (sexta-feira, dia 10 de Julho, às 22 horas, na Praça 25 de Abril) e Tony Carreira (sábado, dia 11 de Julho, 22 horas, Praça 25 de Abril). Paralelamente irá haver momentos de animação de rua, espectáculos de dança e fogo-de-artifício.

OS OUTROS EVENTOS

As actividades desportivas também vão estar em destaque com o “Programa Férias Activas” que inclui Badminton, Basquetebol 3x3 e Futebol de sete. O Concurso de Pesca Desportiva (sábado, dia 11, às 15 horas) vai ter lugar no Rio Ave e o XII Torneio Internacional de Andebol “S. Bento”.

www.santotirsodigital.com

sábado, 20 de junho de 2009

O socialista que lidera a Câmara de Santo Tirso recandidata-se ao cargo pela última vez

O socialista Castro Fernandes anunciou, hoje à noite, pela última vez, a recandidatura à Câmara de Santo Tirso e revelou o nome de 22 candidatos socialistas às juntas de freguesia.

"Pela última vez, estou confiante na vitória", referiu Castro Fernandes, o actual presidente da Câmara de Santo Tirso que, esta noite, anunciou a recandidatura ao cargo.

Eleito pelo Partido Socialista (PS), o autarca sabe que, devido à alteração da lei da limitação de mandatos, as próximas eleições autárquicas serão as últimas.

No jantar, que encheu um pavilhão industrial, o candidato recordou as obras já terminadas e as que estão em construção.

"Temos obra feita e as pessoas sabem que a vida delas tem melhorado a todos os níveis", frisou Castro Fernandes.

No jantar, foram também apresentados 22 dos 24 candidatos pelo PS às juntas de freguesia do município tirsense.

Entre os candidatos às autarquias locais, a surpresa foi o anuncio de que Orlando Moinhos, ex-vereador socialista, será o cabeça de lista socialista à Junta de Freguesia de Santo Tirso.

www.expresso.pt

terça-feira, 16 de junho de 2009

III Festival Multicultural de Santo Tirso - Apresentação

16-06-2009


Em conferência de imprensa realizada no dia 15 de Junho, foi apresentado oficialmente o programa do III FESTIVAL MULTICULTURAL DE SANTO TIRSO que vai decorrer no Parque Urbano da Rabada (Burgães) nos dias 7, 8 e 9 de Agosto.

Organizado conjuntamente pelo Grupo ST Culterra (selecção musical e escolha das actividades) e pela Câmara Municipal de Santo Tirso (patrocínio e disponibilização do espaço), o III Festival Multicultural de Santo Tirso apresenta como cabeças de cartaz os “Mão Morta” (25 anos de carreira) e os “Terrakota” (em 2009 este será o único concerto desta banda no norte do país) num programa alargado de bandas (nacionais e locais) e géneros musicais que vão do rock, à música alternativa, passando pelo folclore português (festival de folclore concelhio).

Mas a multiculturalidade do festival – que decorre no Parque da Rabada, um dos mais belos espaços verdes e urbanos do concelho - não reside apenas ao nível da música, já que estão programadas várias actividades cénicas (animação de rua e marionetas), desportivas (aeróbica e yoga) e radicais (torre de saltos, escalada, slide e rapel com a ajuda do Exército português). Pelo meio haverá um campeonato de pesca (sim, já se pesca e bem no Rio Ave), vários ateliês (pasta de papel e origami) e até a apresentação de um livro do poeta local Pedro Ribeiro. Durante os três dias do festival – com entrada livre - estará patente ao publico uma “feira alternativa”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, este evento “continuará a ser uma festa” de e para os munícipes tirsenses “num local onde, desde logo, está garantida a sua beleza paisagística”. Tal como acontecera nas duas edições anteriores, o presidente da Edilidade Tirsense espera que o evento consiga “a adesão massiva dos munícipes” porque “também é preciso servir as pessoas com cultura e não só com trabalho”.

Para os responsáveis do ST-Culterra – a quem coube a responsabilidade de seleccionar as bandas participantes – o festival vai ser uma festa “não só pelo cartaz que apresenta” como vai permitir, durante três dias, transformar Santo Tirso na capital da música, da literatura, da prática desportiva e do lazer”. E relevaram ainda uma outra componente do festival: “a promoção de bandas locais emergentes”.

Programa:

SEXTA – FEIRA, DIA 7 AGOSTO

Inicio dos concertos – 21h30

Palco principal - MÃO MORTA - SEAN RILEY & SLOWRIDERS - PLUS

Palco dois - anfiteatro - ONE MAN HAND - DAN RIVER MAN SÁBADO,

DIA 8 DE AGOSTO

10h00 – Actividades desportivas Yoga – Prof. Magda Mendes Aerobica/Pilates– Prof. Carla Fontes 10h00 – Atelier Pasta de Papel e origami (arte japoneza de dobrar papel) 17h30 – Apresentação do livro do poeta tirsense Pedro Ribeiro (libertação do pensamento…em nome da vida)

Inicio dos concertos – 21h30

Palco Principal - TERRAKOTA - MAZGANI - MELTING POT

Palco dois - anfiteatro -NICOLE EITNER -TINTO e JEROPIGA (duo Osga e Andreia)

DOMINGO, DIA 9 DE AGOSTO

- 09h30 - Campeonato concelhio de pesca desportiva - 10h00 – Actividades desportivas Yoga – Prof. Magda Mendes Aeróbica/Pilates – Prof. Carla Fontes - 10h00 – Atelier Pasta de Papel e Origami

- 15h30 – Festival Concelhio de Folclore - Grupo Folclórico Infantil da Ermida - Grupo Etnográfico das Aves - Rancho Santo André do Sobrado - Grupo Folclórico Juventude de S.Julião de Água Longa

- Restantes actividades previstas durante os três dias. - Desportos radicais – Exército Português - Feira alternativa

O QUE É E ONDE FICA O PARQUE URBANO DA RABADA?

O Parque Urbano da Rabada, sito na Freguesia de Burgães, (a pouco mais de 2 kms do centro da cidade de Santo Tirso) insere-se numa área de 96 274 m2 e está assente numa mata de carvalhos e sobreiros, sobranceira ao Rio Ave. Este novo espaço verde municipal (na requalificação do qual a Câmara Municipal de Santo Tirso já investiu cerca de 2 milhões de euros) oferece aos munícipes várias zonas de lazer, áreas de estadia e um lago. Para animação cultural e actividades múltiplas existe um anfiteatro ao ar livre, com uma plataforma de 490m2 e com aproximadamente 700 lugares sentados. O Parque Urbano da Rabada dispõe de áreas de estacionamento para bicicletas e motociclos, automóveis ligeiros e autocarros e disponibiliza um café/bar de apoio ao parque, actualmente muito frequentado. Os visitantes podem ainda admirar – devidamente implantadas neste espaço público - várias esculturas resultantes do último Simpósio Internacional de Escultura promovido pela Câmara Municipal de Santo Tirso.

www.cm-stirso.pt

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Câmara Municipal de Santo Tirso congratula-se com a elevação da Freguesia de Vilarinho a Vila

A Câmara Municipal de Santo Tirso congratula-se pelo facto da Assembleia da República ter aprovado hoje, dia 12 de Junho, por unanimidade, a elevação da Freguesia de Vilarinho a Vila.

Tal como já havíamos noticiado, a Câmara Municipal de Santo Tirso deliberara aprovar em reunião do executivo realizada no dia 8 de Abril, a proposta apresentada pelo Presidente Castro Fernandes de elevação da Freguesia de Vilarinho a Vila, e através da qual o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso descrevia pormenorizadamente as razões históricas, geográficas, demográficas, sociais, culturais e económicas que justificavam a elevação da Freguesia de Vilarinho a Vila. Tal proposta fora, entretanto, aprovada também na Assembleia Municipal.


Na proposta apresentada pelo presidente da CM de Santo Tirso podia ler-se:

Enquadramento

Localizada na fronteira nascente do concelho de Santo Tirso, na encosta sobre o rio Vizela, na sua margem esquerda, a freguesia de Vilarinho faz fronteira com as freguesias de São Salvador do Campo, São Martinho do Campo e São Mamede de Negrelos, do mesmo concelho, e com as freguesias de Caldas de Vizela, Barrosas (Santa Eulália), Lustosa e Moreira de Cónegos, dos concelhos de Vizela, Lousada e Guimarães respectivamente. Dista 11km da sede do município, 5km de Vila das Aves e 7km de Vizela. Insere-se no contínuo urbano do Vale do Ave e o seu povoamento fez-se sobretudo ao longo da sua densa rede de caminhos e estradas. De acordo com a tipologia de áreas urbanas, definida pelo INE, Vilarinho é uma APU, ou seja, área predominantemente urbana.

Razões históricas

Os testemunhos de ocupação humana em Vilarinho remontam ao início da nacionalidade. Ao longo dos séculos, Vilarinho viveu em torno do seu mosteiro. Foi este, de Cónegos Regrantes de Santo Agostinho e, dizem alguns autores, terá sido uma abadia secular muito rica, fundada anteriormente a 1070, para sepultura dos fidalgos da geração dos Fafes. O seu abade, Gonçalo Anees Fafes, fundou junto a este templo um convento, no qual aplicou as rendas da sua abadia e do qual foi o seu primeiro abade vitalício. A construção do mosteiro foi iniciada em 1070, em 1074 já estava concluído e era habitado por 10 cónegos. O Mosteiro de Vilarinho vem abundantemente documentado nos séculos XIII e XIV, nomeadamente, no “Censual do Cabido da Sé do Porto” (1120). O pároco da freguesia era cura anual e da apresentação dos Cónegos Regrantes do Mosteiro de Landim, até à sua extinção. Em 1220, Vilarinho pertencia ao Julgado de Refojos e, em 1258, passou para Guimarães. Em 1836 passou a integrar o concelho de São Tomé de Negrelos e em 1885 passou definitivamente ao concelho de Santo Tirso.

Razões geográficas, demográficas, sociais, culturais e económicas

De acordo com os Censos 2001, Vilarinho possui 4.036 habitantes, o que perfaz uma densidade populacional de mais de 700 hab/km2, valor que lhe confere um carácter urbano. 30% da população residente não é natural da freguesia, o que espelha bem a sua atractividade relativamente a freguesias de outros concelhos (21% da população residente é natural de outras freguesias do concelho de Santo Tirso), mas também relativamente a outras freguesias do concelho de Santo Tirso (9%). De assinalar também o seu grande dinamismo demográfico –entre os censos de 1991 e 2001 a população da freguesia cresceu 9,85%, valor acima da média do concelho e do Ave. Este facto pode ser explicado pelo relativo dinamismo económico da freguesia, uma vez que cerca de 32% da população residente trabalha na própria freguesia, o que demonstra que existe aí uma assinalável bolsa de emprego. Apesar de Santo Tirso ser um concelho de charneira entre a Área Metropolitana do Porto e o Vale do Ave, Vilarinho é uma típica freguesia do Vale do Ave. Da sua população residente empregada, 85% está afecta ao sector secundário, e dentro deste e quase na sua totalidade à indústria têxtil. Esta percentagem, apesar de ter vindo a sofrer um ligeiro decréscimo, espelha a dependência da população face ao têxtil. Quanto ao sector primário, a sua importância tem vindo a diminuir ao logo dos últimos anos. Nos últimos censos apenas 1% da população empregada estava afecta a este sector. No entanto, ainda subsistem alguns casos onde a agricultura continua a ser uma actividade secundária, complementar ao rendimento familiar. Certo é que os campos agrícolas, encravados no território construído, continuam a marcar a paisagem da freguesia, o que se deve sobretudo à manutenção de algumas grandes quintas, como a Quinta do Burgo ou a Quinta das Custeiras.

Em 31 de Dezembro de 2006 existiam mais de 3.000 eleitores na freguesia de Vilarinho, cumprindo o art. 12 da Lei 11/82 de 02 de Junho, que refere como condição para elevação de uma freguesia a vila a existência de mais de 3.000 eleitores.

No que se refere aos equipamentos colectivos exigidos, Vilarinho possui: Farmácia; Casa de espectáculos; Diversas colectividades da freguesia possuem salas multiusos, devidamente equipadas para receber espectáculos, como o rancho folclórico, os escuteiros, o Movimento Ecológico Baden Powell, o Futebol Clube de Vilarinho e até mesmo a sede da Junta de Freguesia; Transportes colectivos; Estabelecimentos comerciais e de hotelaria. Vilarinho possui diversos estabelecimentos comerciais (supermercados, mercearias, talhos, padarias, drogarias, ourivesaria, florista, loja de electrodomésticos). Quanto a estabelecimentos de hotelaria, além de diversos cafés e restaurantes, existe um projecto para um hotel de turismo rural. Vilarinho possui ainda três estabelecimentos de ensino: JI da Boca, EB1 de Lage e EB1/JI de Paradela.

De referir ainda o elevado sentido de participação dos Vilarinhenses na vida da comunidade, retratado no elevado número de colectividades existentes, de onde se destacam: Agrupamento 245 de Vilarinho – CNE; Associação dos Antigos Escuteiros de Vilarinho; Centro Social e Paroquial de Vilarinho; Conferência de S. Vicente de Paulo; Fábrica da Igreja Paroquial de S. Miguel de Vilarinho; Futebol Clube de Vilarinho; Grupo Columbófilo de Vilarinho; Grupo de Jovens Sem Fronteiras e o Movimento Ecológico Baden Powell

Considerando que se encontram reunidas as condições legais, quanto ao número de eleitores e demais exigências previstas na lei n.º 11/82 de 02 de Junho, propõe-se a elevação da freguesia a Vila.

http://www.metronews.com.pt/2009/06/12/camara-municipal-de-santo-tirso-congratula-se-com-a-elevacao-da-freguesia-de-vilarinho-a-vila/

terça-feira, 9 de junho de 2009

Entrevista do presidente do PSD*

Na última edição do novo jornal Santo Tirso Hoje foi publicada uma entrevista do presidente do PSD de Santo Tirso, Alírio Canceles. Num ano de eleições, e numa altura em que o PSD local está já em plena pré-campanha autárquica, esperava-se mais e melhor do líder laranja.Numa entrevista de duas páginas, Alírio Canceles aborda os assuntos mais importantes e prementes da agenda política, mas fá-lo sempre de forma negativa. Ou seja, fala de emprego, educação, saúde, etc. mas sempre para criticar negativamente a CMST e o seu presidente Castro Fernandes.Ora, nesta altura do “campeonato” esperava-se que o presidente dos sociais-democratas apresentasse algumas soluções, ideias, estratégias ou rumos para o concelho, e consequentemente para os Tirsenses.Alírio critica (e muito bem) a falha da CMST no que concerne à atracção do investimento empresarial. Na responsabilidade que o actual executivo teve na perda do novo hospital, da maternidade e da urgência. Da falta de capacidade do PS de manter e fixar, em Santo Tirso, o ensino superior. Nas culpas que Castro Fernandes tem do estado em que se encontra o concelho.Mas quando lhe perguntaram sobre as propostas do PSD, o presidente laranja diz: “é claro que o PSD está a trabalhar nas propostas que irá em devido tempo apresentar às populações”. Ora, se Canceles repete que tem vindo a ser feito um extraordinário trabalho desde 2005, é legitimo perguntar: Depois de 4 anos de trabalho junto das populações, na AM e na vereação, ainda não há propostas?
* Texto publicado no blog Santo Thyrso


Até os que sempre se mostraram próximos do PSD consideram que o partido não tem mostrado grande sede de vitória. Em Santo Tirso o PSD anda apagado, João Abreu anda apagado. Falam do trabalho que fizeram neste mandato, na proximidade às populações, mas na hora da verdade nada de concreto têm para apresentar ao eleitorado. Concordo com o autor deste texto: já era hora de vermos propostas, em vez de meras críticas ao desempenho de Castro Fernandes.

Camac quer perdão de parte das dívidas

Uma moratória de meio ano para liquidar as dívidas aos trabalhadores - que serão pagas em prestações - acrescida do perdão de 15% dos créditos poderão complicar a viabilização da Camac, em Santo Tirso.

Garantido o apoio de quatro milhões de euros do Governo para evitar a falência da única fabricante de pneus de capitais portugueses, esta vê-se, agora, a braços com um programa de recuperação "bastante delicado", afirmouao JN fonte próxima do processo.

De acordo com o plano de insolvência da CNB/Camac, a que o JN teve acesso, propõe-se que a fábrica reinicie a produção no prazo de três meses após a sentença judicial que dite a aprovação daquele documento e somente com um turno composto por cerca de 110 trabalhadores.

As reservas surgem quando se determina o perdão de 15% das dívidas aos 300 operários bem como dos juros de mora, além de uma moratória de seis meses que, no caso dos funcionários que rescindiram os contratos, se alonga até um ano, sendo ambos os períodos de carência contados a partir da retoma de laboração da fábrica. Ou seja, os trabalhadores terão de aguardar entre nove a 15 meses pelo dinheiro.

A administradora judicial da Camac justifica que este hiato temporal "permitirá a consolidação dos meios libertos disponíveis para o cumprimento do plano de insolvência por parte da insolvente".Acresce que o pagamento dos ordenados em atraso - três meses de salário, subsídios de férias de 2008 e retroactivos - será feito em prestações semestrais ao longo de 18 meses e a partir do fim da referida moratória de meio ano para os trabalhadores vinculados à empresa, sendo que esse período se estende a quatro anos contados do final da carência de um ano para ex-colaboradores.

O plano prevê ainda o perdão de 70% das dívidas aos restantes credores, entre os quais alguns fornecedores, mas fonte próxima da firma refere que haverá acordo prévio entre as partes, arredando a hipótese de aquelas entidades chumbarem a viabilização da Camac.

Se o facto de o Ministério da Economia ter dobrado o montante inicialmente previsto - dois milhões de euros - para injectar na empresa "a título de reforço de tesouraria" gerou alívio, colocam-se, agora, reticências quanto à disponibilidade dos credores para aprovar o plano de recuperação. É que, face às condições avançadas, crê-se que alguns operários possam chumbar o documento que será votado no próximo dia 1 de Julho.

O dirigente sindical que acompanha a Camac, Ribeiro dos Santos remeteu comentários para o próximo dia 17, após o plenário de trabalhadores convocado para analisar as propostas e "deliberar o posicionamento na Assembleia de credores".

Jornal de Notícias

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Os outdoors da campanha de João Abreu












Pessoalmente, não tenho contra o candidato do PSD à Câmara Municipal de Santo Tirso. Até acho que é simpático. O que não acho é que tenha o mínimo talento para a política e, pelo que se tem visto, também não tem grande talento para o Marketing. Se é com estes outdoors que o PSD quer vender o seu candidato, meus amigos, estamos mal. Aqueles com uns bonecos coloridos por cima são simplesmente ridículos, e fazem parecer que Abreu não leva a sério a missão a que se propõe. Os outros, bem… Basta ver a pose do candidato, o sorriso forçado, a caneta em riste, e quem não se ri desta palhaçada não pode ser humano!

As frases escolhidas para estes cartazes constituem outra fonte de colossal entretenimento: por que é que Santo Tirso é a capital das crianças? Quem a proclamou como tal? Com que fundamento? E o que são “famílias empreendedoras”? São as que põem as suas crianças a trabalhar desde cedo? E os parques avós e netos? São parques onde os pais não entram? São parques onde meninos sem avós não podem brincar? E que dedo é aquele de João Abreu? Que raios significa tal coisa? Expliquem-me, se puderem!

“Desporto para todos, todo o ano”? Mas será que há um só cidadão tirsense que, querendo fazer desporto, não tenha já neste momento todas as condições para o fazer? Como muito bem lembra o blog A escolha certa para Santo Tirso, criado há bem poucos dias, mas bastante acutilante nas suas mensagens, no nosso concelho não faltam opções para os interessados na prática de actividades desportivas e de lazer ao ar livre: temos pavilhões desportivos, caminhos pedestres, piscina municipal, ginástica para os mais velhos, o fantástico Parque da Rabada… Enfim, em Santo Tirso só não faz desporto quem não quer, e a isso não podemos obrigar ninguém. A Autarquia tem tido uma actuação exemplar em matéria de fomento da prática desportiva, mas se a população não adere massivamente, fazer o quê?

“Educação – uma aposta superior”. Não será o mesmo que dizer “Educação – uma prioridade”, um slogan adoptado pela Câmara de Santo Tirso nos seus outdoors de há uns meses, que o PSD tanto criticou? De quem é afinal a responsabilidade pelos seis centros escolares previstos na nossa Carta Educativa, ou pelas muitas obras de requalificação realizadas nas nossas escolas ao longo dos anos passados? Terá o PSD o desplante de negar que, tendo a Autarquia investido 20 milhões de euros em escolas, em apenas poucos anos, não fez da educação uma prioridade? Haja sensatez, meus amigos! A política tem de ser séria!

Que “as famílias são a primeira escolha”, ninguém duvida. Resta saber de que famílias falamos, porque para mim a minha família está sempre primeiro. Acho que para os social-democratas também estarão sempre em primeiro as suas famílias, políticas ou de sangue… Fazer a diferença com imaginação seria uma boa ideia, se houvesse imaginação para tal. É que os cartazes do PSD, com o candidato vestindo um pomposo sorriso amarelo, sem olhar de frente para os que o lêem, e envergando uma caneta… francamente… são muito pouco imaginativos. Assim como o outdoor que diz que Santo Tirso tem 24 freguesias. Pouco informativo, se não tivermos em conta os distraídos como os militantes do PSD, que só visitam as freguesias da sua cor, que, como fizeram naquele acordo com a ANJE, só assinam protocolos com as juntas de freguesia laranja…

Quanto ao “grande negócio” (ou será negociata?) do PSD – o apoio às micro-empresas, gostava de saber de que forma é que uma Câmara Municipal pode levar a cabo este tipo de promessa. João Abreu pretende investir dinheiro público nas empresas? E depois, de onde virá o dinheiro para investir na educação, na habitação, na saúde, no saneamento básico, no desporto, na cultura? Ah… Reparo agora quem nem uma nota do PSD para a Cultura… Mudar de vida? Com o PSD? Pelo exposto parece que Santo Tirso deixaria é de ter vida se por acaso João Abreu ganhasse as eleições! Mas acho que disso estamos livres. Ao menos isso…

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Visita de Trabalho a Vila das Aves

03-06-2009

O Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes – acompanhado por vários técnicos camarários de diferentes departamentos - levou a efeito na tarde do dia 2 de Junho, uma visita de trabalho a Vila das Aves, durante a qual visitou uma dezena de locais onde decorrem actualmente importantes obras de beneficiação e requalificação.

No global, as obras apreciadas representam um investimento camarário de mais de 4, 5 milhões de euros.

De entre as empreitadas em curso ou em fase de conclusão visitadas contam-se:

REQUALIFICAÇÃO URBANA DAS RUAS DR. GERMANO PIMENTA E ACESSO À RUA Nª Sª DE FÁTIMA

Esta obra – avaliada em 136 770 euros - está actualmente em fase avançada de execução e contempla a execução das infra-estruturas e pavimentação nas duas vias. Refira-se que em complemento a esta obra – e em resposta a um abaixo-assinado de pessoas solicitando a requalificação da zona - será também feita a ligação à Rua das Carvalheiras, numa obra avaliada em mais 41 mil euros.

REQUALIFICAÇÃO DA AVENIDA COMENDADOR SILVA ARAÚJO

No que se refere a esta empreitada - avaliada em mais de 507 mil euros – ficamos a saber que, numa primeira fase já contemplou a execução das redes de abastecimento de água, saneamento e águas pluviais. Dentro de um mês será possível lançar a primeira camada de betuminoso com o objectivo de tornar transitável um troço da avenida até à rotunda.

RUA 25 DE ABRIL

Esta importante via de Vila das Aves está a sofrer obras de requalificação (tendo sido já aberto o primeiro troço), sobretudo ao nível da infra-estruturação e pavimentação, avaliadas em 524 mil euros.

1ª FASE DE CONSTRUÇÃO DA LIGAÇÃO DA AV. DE PARADELA A CENSE

O Presidente Castro Fernandes teve o cuidado de visitar os trabalhos de construção desta nova artéria que vai ligar a Avenida de Paradela ao Lugar de Cense, numa empreitada avaliada em 243 mil euros. Trata-se de uma verdadeira via estruturante não só para a Vila das Aves como poderá permitir uma muito melhor ligação à Vila de Rebordões, à EN 105 e a Santo Tirso, isto se avançar a possibilidade de candidatar a obra da nova ponte sobre o Rio Vizela ao QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) 2013.

RUA DO RIOBERTO

As obras relacionadas com a execução da rede de drenagem de águas pluviais nesta via já estão concluídas e implicaram um investimento de 17 mil euros. RUA DO PENEDO Já foram concluídas as obras de pavimentação, avaliadas em 5 700 euros, desta artéria.

RUA DO BARROCO

19 mil euros gastou a Câmara Municipal nos trabalhos já concluídos desta rua.

TRAVESSA DE SANTO ANDRÉ (SOBRADO)

Os serviços camarários vão proceder brevemente à pavimentação desta rua.

RUAS, CUJOS PAVIMENTOS FORAM RECENTEMENTE RECUPERADOS

Foram 13 as ruas de Vila das Aves cujos pavimentos foram recuperados no âmbito do programa anual de conservação viária municipal e que passamos a descrever: Rua da Boavista, Rua do Parque Industrial da Barca, Travessa Bernardino Gomes Ferreira, Rua da Fonte de Cense, Rua de Romão, Rua da Concórdia, Rua do Rio Ave, Rua Antero de Quental, Travessa da Rua da Indústria, Rua dos Aves, Rua de Lubazim, Rua Narciso José Machado Guimarães e Rua de S. José.

VISITA AO PMR (44 HABITAÇÕES) NO LUGAR DA BARCA

A visita de trabalho terminou no conjunto habitacional da Barca (em fase de conclusão) construído no âmbito do Programa Municipal de Realojamento (PMR) e constituído por dois edifícios separados por uma pequena zona de lazer. O complexo – que tem a particularidade de todos os fogos estarem equipados com sistema individual de aquecimento de águas sanitárias por painéis solares - vai realojar 44 famílias e custou à Câmara Municipal de Santo Tirso cerca de 3 milhões de euros.

E foi já no final da visita quando se dirigia à sua viatura para regressar à Câmara Municipal que Castro Fernandes deixou o desabafo “depois há quem diga que não se faz obra na Vila das Aves”, ou “que as obras são eleitoralistas só porque se fazem”.

http://www.cm-stirso.pt/

Sermão de Paulo Rangel aos peixes

Nesta campanha eleitoral para as europeias há quatro partidos em que o líder tem marcado uma presença constante nas acções de rua dos seus candidatos: José Sócrates pelo PS, Paulo Portas pelo CDS, Francisco Louçã pelo BE e Jerónimo de Sousa pela CDU. A excepção entre os partidos com maior representatividade junto do eleitorado tem sido o PSD, facto que já lhe valeu as críticas do PS e do CDS. Vital Moreira e Nuno Melo, cabeças-de-lista socialista e democrata-cristão, estão de acordo numa coisa: ou é Paulo Rangel que tem vergonha da líder do seu partido, ou é Manuela Ferreira Leite que tem falhado no apoio à campanha da sua lista. O socialista foi ainda mais longe e, num momento bem-disposto, lembrou que Paulo Rangel anda sempre sozinho. As reportagens que temos visto nos diferentes canais de televisão também não têm sido meigas para o PSD. Mas Paulo Rangel já encontrou uma resposta para as críticas: quando os outros partidos o acusam de andar sozinho nas ruas, por não conseguir mobilizar o povo, o candidato riposta que afinal são os outros que “não entenderam o conceito” da sua campanha. Eu entendi! O conceito da campanha de Paulo Rangel é uma espécie de sermão de Santo António aos peixes…

terça-feira, 2 de junho de 2009

SERIA DE ESPERAR MAIS DE JOÃO ABREU

Seria de esperar mais de um homem de quem se diz ser especialista em marketing. João Abreu, o candidato do PSD à Câmara Municipal de Santo Tirso, não esteve à altura desse título, nem no seu site, que durante semanas não passou de uma página estática, mal escrita e pouco apelativa, nem no jantar de apresentação oficial da sua candidatura, realizado há poucos dias na Pedra do Couto (já viram as sombras no palco? Quererá o "especialista em marketing" antecipar que vai estar na sombra de Castro Fernandes por mais um mandato?), e muito menos no seu dia-a-dia junto das populações. Com uma presença apagada, um discurso moderado (deixa as partes agressivas para o presidente da concelhia, que não corre o risco de ser “queimado” nas urnas), em que tenta passar a imagem de bom mocinho, mas na nossa modesta opinião essa atitude penaliza-o, mais do que impulsiona a sua candidatura para a tão desejada vitória.

Não acredito que João Abreu vença Castro Fernandes nas autárquicas. Não acredito sequer que os social-democratas atinjam os mesmos números de 2005. João Abreu não soube capitalizar o facto de ter sido eleito vereador, e durante os últimos anos ninguém o viu. Vi-o eu, no 25 de Abril, com o olhar triste de um menino que não sabia o que fazia ali, na cerimónia de entrega das Medalhas de Mérito do nosso concelho. Vi-o eu, numa recente visita à minha freguesia, acompanhado de um muito pouco convincente coro de quatro ou cinco vozes e outros tantos rostos ensonados. Não há naquele grupo um rasgo de dinamismo, de modernidade, desse impulso de mudança que a campanha apregoa.

O candidato do PSD e aqueles que o acompanham são amorfos, cinzentões, desconhecidos. E o povo vai mostrar-lhes isso mesmo nas urnas, em Outubro. Disso não tenho dúvidas. João Abreu não tem estaleca para ser presidente de câmara, e os Tirsenses já perceberam isso há muito tempo. Estão habituados a ver na Autarquia um homem enérgico e decidido, que não tem medo da exposição pública, e que regularmente presta contas do seu trabalho. Um homem reconhecido para lá da geografia do Concelho, bem enquadrado no partido que representa, próximo do líder e respeitado em toda a linha socialista. O combate a que João Abreu se propôs é difícil (impossível talvez), mas já falta pouco para que os Tirsenses digam de sua justiça e ditem o futuro do concelho que todos amamos. É esperar para ver.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

APRESENTADO DISPOSITIVO MUNICIPAL DE COMBATE A INCÊNDIOS

01-06-2009

Para assinalar devidamente o dia 1 de Junho como o Dia Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, a Câmara Municipal de Santo Tirso decidiu apresentar nesse mesmo dia o Dispositivo Municipal (Meios) de Combate ao Fogos Florestais para o corrente ano de 2009.

“O ESFORÇO CONTINUADO DE TODOS NUNCA É DEMAIS PARA DEFENDER A FLORESTA"

Na abertura da cerimónia – que contou com a presença do Coronel Teixeira Leite, comandante distrital das Operações de Socorro, dos presidentes e comandantes das três Corporações de Bombeiros Voluntários existentes no concelho, dos representantes das Forças de Segurança (PSP, GNR), do Comandante da Polícia Municipal e de vários presidentes de Junta de Freguesia – Castro Fernandes, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso começou por revelar que “os incêndios florestais que assolaram o concelho na passada semana” são a prova evidente que “o esforço continuado de todos nunca é demais para defender a Floresta”. E acrescentou: “Prevenir deve ser sempre a palavra de ordem”.

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso lembrou ainda “as medidas de planeamento integrado” que têm sido tomadas no âmbito da Comissão Municipal de Defesa da Floresta (CMDF), “com vista à melhor articulação dos recursos humanos e meios disponíveis” no concelho para as acções de vigilância, detecção, fiscalização, primeira intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós rescaldo. E fez saber que “desse trabalho em conjunto entre todas as entidades” têm surgido respostas adequadas e resultados efectivos e animadores”, exemplificando com o “número de ocorrências registado em 2008 (120), o mais baixo dos últimos 13 anos”.

Para Castro Fernandes “a estreita colaboração com a Autoridade Nacional de Protecção Civil e com a Autoridade Florestal Nacional em matéria de Defesa da Floresta e de Protecção Civil em muito tem contribuído para o reforço da operacionalidade municipal”. E adianta “o nosso Plano Operacional Municipal (POM) é actualizado anualmente” com o contributo concertado de várias entidades “as três corporações de Bombeiros Voluntários do concelho (AHBV de Santo Tirso, AHBV Tirsenses e AHBV de Vila das Aves), as Forças de Segurança (Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública e Polícia Municipal), a cooperação dos produtores florestais, através do Grupo Portucel/Soporcel, dos proprietários florestais representados pela Associação dos Silvicultores do Vale do Ave (ASVA)”. Segundo o autarca, só com a ajuda de todas estas entidades “seremos capazes de melhorar o sistema de vigilância e detecção dos incêndios, de reforçar a fiscalização e de garantir uma primeira intervenção rápida e eficaz”.

“SANTO TIRSO É UM BOM EXEMPLO ATÉ PARA OS OUTROS CONCELHOS DO DISTRITO”

O Comandante Distrital (do Porto) das Operações de Socorro, Coronel Teixeira Leite, falou sucintamente da directiva distrital de Defesa da Floresta Contra Incêndios, considerando-a “uma plataforma estratégica” que é elaborada para “ser capaz de responder com eficácia às necessidades dos cidadãos” porque nela está definida não só “a estrutura de direcção, o comando e os meios a disponibilizar” como também estão regulados “a coordenação institucional, a articulação e a intervenção das organizações envolvidas nas operações de defesa da floresta contra incêndios”. Sobre o Plano Operacional Municipal (POM) de Santo Tirso, Teixeira Leite referiu-se a ele “como um bom plano porque regularmente actualizado ”, considerando Santo Tirso “um bom exemplo até para os outros concelhos do distrito” na medida em que já tem “o seu trabalho de casa feito e bem feito”.

QUE MEIOS DISPONIBILIZA SANTO TIRSO PARA PREVENIR E COMBATER OS INCÊNDIOS FLORESTAIS?

Nesse Plano estão identificados os meios disponíveis no Município de Santo Tirso, as Entidades envolvidas e definidas as respectivas áreas de intervenção.

Assim, as entidades que intervêm na vigilância e detecção de incêndios para o corrente ano de 2009 são: a Equipa DFCI (defesa da floresta contra incêndios) da Câmara Municipal, a Equipa de Sapadores Florestais (protocolada entre a Câmara Municipal e a Associação de Silvicultores do Vale do Ave), as três Corporações de Bombeiros, a GNR, a PSP e a PM.

Numa primeira fase de prevenção são constituídas três brigadas moto4 com recurso a pessoal afecto às três corporações dos bombeiros voluntários e duas viaturas todo-o-terreno (com kit de primeira intervenção) para a equipa de sapadores florestais e para a equipa DFCI da Câmara Municipal.

Acrescem algumas medidas desenvolvidas em complementaridade com as entidades acima referidas e que enumeramos:

• A sensibilização das populações através do esclarecimento atempado sobre as épocas interditas para a realização de queimas e queimadas e a necessidade de ser feita uma gestão e controlo de combustíveis vegetais em espaços florestais definidos no Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios;

• As acções de silvicultura preventiva, manutenção e beneficiação de redes de caminhos e de outras infra-estruturas florestais realizadas nos últimos anos;

• A vigilância dos jovens inscritos no Programa “OJ” – Ocupação Jovem.

No final da cerimónia foram também apresentadas as Equipas de Intervenção Permanente que tem como missão assegurar, em permanência (e não especificamente nesta matéria de combate aos incêndios), serviços de socorro às populações e que resultaram de protocolo recentemente assinado entre cada Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários, a Autoridade Nacional de Protecção Civil e a Câmara Municipal para a sua constituição e funcionamento.

http://www.cm-stirso.pt/

quinta-feira, 28 de maio de 2009

FESTAS DA VILA DE S. MARTINHO DO CAMPO

“Comemoração do 12º Aniversário” de 10 a 27 de Junho

Dia 10 – Quarta-Feira “Feriado”

09h00 – Abertura das Festas
Fogo de artificio
Hastear das Bandeiras
Feira semanal

11H00 – Bicentenário das Invasões Francesas
Inauguração da Escultura
“Resistência Popular na Defesa da Ponte”

15H00 – Jornada Inaugural de Espinho
Desporto – Música – Dança - Insufláveis
Inauguração do piso sintético
Ringue de Espinho

Torneio Inter-Escolas
Coreografia Musical da
Escola Aldeia do Monte

21H00- Ringue de Espinho
Futsal Feminino –
A. R. S. Martinho – U.D. São Mamede

Espectáculo de Música e Dança
“As Joaninas”
“Corpos em Movimento”

Dia 11 – Quinta-Feira “Feriado”

17h30 – Procissão no Centro da Vila
“Dia do Corpo de Deus”

Dia 12– Sexta-Feira

21h30 – Tenda de Ritmos
“Até a barraca abana”
Iniciativa Graco

Dia 13 – Sábado

10h30 – Cicloturismo
Volta á Vila
CCL – “GL”
Moto Clube Campense

16h00 – Animação ao ar livre
Ginástica para todos no palco da Avenida iniciativa "Graco"

17h30 – Cerimónia de Recepção aos Grupos de Folclore
Salão Nobre da Junta

21h00 – Desfile dos Grupos Folclóricos
Avenida das “Tílias”

21h30 – 52º Festival Folclórico
No palco da Avenida
Rancho Folclórico Fazendeiros de Montemor-o-Novo
Rancho Folclórico Os Camponeses de S. Francisco - Alcochete
Rancho Folclórico da Casa do Povo de Godim – Peso da Régua
Rancho Folclórico “ As Lavradeiras de Arcozelo” – Vila Nova de Gaia
Rancho Regional das Lavradeiras de Carreço – Viana do Castelo
Grupo Folclórico de S. Martinho Campo – Santo Tirso

Dia 17 – Quarta-Feira

09h00 – Música Ambiente
Feira Semanal

Dia 19 – Sexta-feira

15h00 – Animação ao Ar Livre
Insufláveis / Diversões
Jornadas de Prevenção e Saúde

16h00 – Desfile das Marchas Populares “Os Infantis”
Casa Dias Machado

16h30 – Espectáculo Infantil no Palco da Avenida

21h30 – Música – Teatro – Fantasia
Animação Colorida “Graco”
Musical com Dramatização
“Resistência Popular na Defesa da Ponte”
Avenida das Tílias

Escola de Música
Grupo Folclórico
Grupo Coral Litúrgico
Associação Campense de Karaté
CCL/GL
Angariação de Fundos pela “AS”

Dia 20 – Sábado

10h00 – Animação ao Ar Livre
Insufláveis / Diversões

16h00 – Jornada de Prevenção e Saúde
Ginástica para todos

16h30 – Cerimónia Comemorativa
12º Aniversário da Elevação a Vila
Sessão Solene no Salão Nobre da Junta

17h30 – Missa Solene na Igreja Paroquial
Grupo Coral Santa Cecília

21h00 – Marchas Populares
Moto Clube Campense
CCL / GL
Escola Aldeia do Monte
Escola de Entre-Estradas
Escola do 1º Ciclo E.B.I.
Cedofeita / Pousada
Assoc. de Pais Aldeia do Monte
Assoc. Campense de Karaté
As Joaninas
Alegria do Vale
Graco

23h30 – Fim das Marchas
Fogo-de-artifício

Dia 21- Domingo

10h00 – Jornada de Prevenção e Saúde
Desfile da Fanfarra dos Escuteiros

11h00 – Missa Solene na Igreja Paroquial
Grupo Coral Litúrgico
Participação da 3ª Idade e Doentes na Eucaristia

12h30- Almoço da 3ª Idade e Doentes na E.B.I.
Promovido pelos Escuteiros de São Martinho

16h00- Celebração Litúrgica da tarde
Lanche da 3ª Idade na E.B.I.

Dia 27 – Sábado

21h30 – Arraial Popular na Travessa de Pousada
Com “Duo Lusosom”
Música, sardinha assada, pão e vinho.

24h00 – Fogo-de-Artifício – ENCERRAMENTO

Coordenação: Junta de Freguesia de São Martinho do Campo
Organização: Grupos e Associações de S. Martinho
Divulgação: Rádios e Jornais da Região
Colaboração: Bombeiros Voluntários de Vila das Aves
Apoio: Câmara Municipal de Santo Tirso

http://www.santotirsodigital.com/

domingo, 24 de maio de 2009

"PRESIDÊNCIA DE PROXIMIDADE" NA FREGUESIA DA PALMEIRA

23-05-2009

O Presidente Castro Fernandes deslocou-se na manhã do dia 23 de Maio (sábado), à Freguesia da Palmeira, para levar a efeito mais uma «presidência de proximidade». Acompanhavam o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, o Vereador Luís Freitas, vários técnicos camarários e a imprensa local.

À espera da comitiva presidencial estava o presidente da Junta de Freguesia, Altino Osório, a presidente da Assembleia de Freguesia e restante membros da assembleia e executivo da Palmeira, bem como representantes de várias instituições da freguesia.

REUNIÃO DE TRABALHO COM A APRESENTAÇÃO DA MAQUETE DA NOVA SEDE DE JUNTA DE FREGUESIA E PLANTA DO ADRO DA IGREJA

PRESIDENTE ABRE CONCURSO PARA A 1ª FASE DA CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE (NO TOTAL A EMPREITADA IMPLICARÁ UM INVESTIMENTO DE 346 MIL EUROS)

Ainda antes da visita propriamente dita, houve uma pequena reunião de trabalho que incluiu a apresentação por parte do arquitecto Jorge Nuno Monteiro da maquete da futura sede de junta de freguesia. Depois de uma breve explicação sobre as instalações do futuro edifício-sede da Junta de Freguesia que, ficamos a saber será construído num único piso, integrando uma zona de atendimento público, o gabinete do presidente, o salão nobre, os sanitários e uma zona de circulação. O novo edifício contemplará ainda uma cave. Finda a apresentação, Castro Fernandes, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso aprovou a abertura do concurso da primeira fase da obra (movimento de terras, estrutura em betão e cobertura) pelo valor de 128 mil euros, adiantando, no entanto, que a construção da nova sede da Junta de Freguesia da Palmeira implicará um investimento camarário global de 346 mil euros.

REDES PÚBLICAS DE ÁGUA E ESGOTOS JÁ COBREM GRANDE PARTE DA FREGUESIA

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso não deixou de lembrar que a Freguesia da Palmeira já está coberta em grande parte pelas redes de água e esgotos. Foram três milhões de euros em investimento não só na Palmeira como também nas outras freguesias de Além Rio. “É um investimento que já ninguém vê, porque está enterrado”. Feito este enorme investimento “é preciso que as pessoas liguem as suas casas às redes”, concluiu.

LANÇADA A CONCURSO A 1ª FASE DA “ENVOLVENTE (ADRO) À IGREJA DA PALMEIRA”

Sobre as obras da requalificação da Envolvente (Adro) à Igreja da Palmeira, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso informou que a obra será faseada e aprovou, no local, a abertura do concurso – pelo valor de 113 423 euros – da primeira fase da obra. Na visita ao local (foto) – que já contou com a presença do pároco da freguesia, o Reverendo Padre Mário – Castro Fernandes não teve dúvidas em afirmar que “esta zona nobre da freguesia ficará muito bem ordenada depois destas obras e da beneficiação da igreja e da construção do salão paroquial”. Refira-se que estas duas obras foram subsidiadas pela Câmara Municipal de Santo Tirso.

VAI A CONCURSO BREVEMENTE O “ALARGAMENTO DA EM 509” NO LUGAR DA CAPELA

A comitiva deslocou-se depois até à Estrada Municipal 509, no Lugar da Capela, via a necessitar urgentemente de obras de alargamento. No local, o Presidente Castro Fernandes dialogou e acertou com o proprietário da parcela de terreno o que deve ser feito para que seja assinada a declaração de aceitação com o objectivo de colocar a concurso as obras de alargamento da via, empreitada que deverá orçar os 46 mil euros.

http://www.cm-stirso.pt/

domingo, 17 de maio de 2009

SANTO TIRSO COMEMOROU DIA MUNICIPAL DO BOMBEIRO

16-05-2009

Numa iniciativa patrocinada pela Câmara Municipal de Santo Tirso, há mais de duas décadas, decorreu na tarde de sábado, dia 16 de Maio, as comemorações do Dia Municipal do Bombeiro de Santo Tirso.

A organização do evento – que é delegada pelas três corporações de bombeiros do concelho – coube este ano à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso (Vermelhos).

Sob presidência de Castro Fernandes, o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, a cerimónia solene comemorativa do evento decorreu no salão nobre dos Paços do Concelho e contou com a presença dos representantes da Autoridade Nacional de Protecção Civil, da Liga dos Bombeiros Portugueses, da Federação Distrital dos Bombeiros do Porto, dos presidentes e comandantes das três Corporações de Bombeiros Voluntários do concelho, do restante executivo camarário, de muitas individualidades do concelho, para além de muitos bombeiros e seus familiares.

Coube ao presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso, dr. Asuil Dinis, a primeira intervenção da tarde, tendo começado por saudar a Câmara Municipal de Santo Tirso, na pessoa do seu presidente, pela realização de mais uma edição do “dia municipal do bombeiro”, numa iniciativa que, segundo ele, “data já de 1985” e cuja razão de ser pretende “sublinhar o sentido de voluntariado destas mulheres e homens” que com forte sacrifício “insistem em ser baluartes de humanismo”.

O representante da Liga dos Bombeiros Portugueses, Comandante José Campos, para além de afirmar que “se sente em casa, sempre que se desloca a Santo Tirso”, adiantou que é sempre bom saber e constatar “que à frente da Câmara Municipal de Santo Tirso” está alguém que “sabe homenagear o esforço dos seus bombeiros”, afinal “homens e mulheres com e sem farda” que são “o pilar da nossa segurança”. Mostrando-se satisfeito por ver tantos jovens na formatura, José Campos concluiu dizendo com agrado que, afinal, “o voluntariado não está em crise”.

Também o Coronel Teixeira Leite, Comandante Distrital de Operações de Socorro do Porto e representante da Autoridade Nacional de Protecção Civil, relevou “o papel e o apoio da Câmara Municipal de Santo Tirso e do seu presidente aos seus bombeiros”, salientando que, em Santo Tirso, esse apoio “é feito de actos e não de palavras”, recordando que, em Santo Tirso já foram criadas as “equipas de intervenção permanente” e estão a ser dadas aos bombeiros do concelho “as melhores condições” para que possam desempenhar com eficácia “o mais nobre dos serviços públicos”.

Na sua intervenção, o presidente da Edilidade Tirsense, engº Castro Fernandes, começou por afirmar que ao repetir esta efeméride, a Câmara Municipal de Santo Tirso “não está a cumprir uma rotina” mas sim e principalmente “a homenagear e a lembrar a dedicação diária destas mulheres e homens, que voluntariamente, dedicam uma grande parte da sua vida ao serviço comunitário”. Lembrou depois que só com ajuda de todos “bombeiros, autarquia, associações florestais e autoridades nacionais” foi possível atingir os resultados de 2008 na área da Defesa de Floresta, não deixando de relevar a cooperação com a Associação de Silvicultores do Vale do Ave e com a Autoridade Florestal Nacional “em matéria de prevenção, do uso do fogo e da limpeza das florestas”. E foi mais longe ao elogiar o excelente trabalho da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, que integra as três corporações dos Bombeiros Voluntários deste município, as Forças de Segurança, os proprietários e produtores florestais, a Autoridade Florestal Nacional, as Juntas de Freguesia, a Câmara Municipal e até as centenas de jovens OTL’s que integram o Projecto “Vigiar para Preservar”. E, mais adiante, Castro Fernandes deu a conhecer não só o montante da ajuda que deu às três corporações de bombeiros do concelho e que neste ano “orçou os 82 500 euros”, quantia que poderá ser aumentada, dependendo esse aumento – disse, em jeito de novidade - “da data de entrada em vigor das Equipas de Intervenção Permanente”, sendo que neste processo “o concelho de Santo Tirso é pioneiro”. E concluiu, relembrando a continuação de outros apoios aos bombeiros, enquadrado pelo Regulamento de Concessão de Regalias aos Bombeiros do Município, que se traduz num conjunto de regalias sociais que integram desde “os seguros contra acidentes sociais, às bolsas de estudo, ao apoio jurídico, ao acesso gratuito a actividades culturais e desportivas promovidas pela Câmara Municipal, ao acesso à habitação em condições privilegiadas, à redução de taxas em serviços municipais ou ao apoio a acções de formação”.

A cerimónia decorreu então com a entrega das seguintes medalhas:

MEDALHAS DE SERVIÇOS DISTINTOS

Agostinho Campos Ferreira - Director desde 1998 da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso

José Neves de Azevedo – Sub-Chefe da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Tirsenses

Armando Azevedo Abreu - 2º Secretário da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves

MEDALHAS DE MÉRITO E DEDICAÇÃO

GRAU PRATA (25 ANOS DE SERVIÇO EFECTIVO)

- Mário Duarte Neto de Sousa, bombeiro de 1ª da AHBV Santo Tirso

- Joaquim Ferreira da Silva, bombeiro de 1ª da AHBV Santo Tirso

- António Pereira Lopes, bombeiro de 1ª da AHBV Santo Tirso

- Eduardo António Moreira Matos, bombeiro de 3ª da AHBV Santo Tirso

- Aprígio Arnaldo Monteiro Ribeiro, bombeiro de 3ª da AHBV Santo Tirso.

GRAU BRONZE (15 ANOS DE SERVIÇO EFECTIVO)

- Agostinho José Alves Dinis – 2º Comandante da AHBV Tirsenses

- José Paulo Silva Salgado – Bombeiro 1ª Classe da AHBV Tirsenses

- Luís Manuel Silva Andrade – Bombeiro 1ª Classe da AHBV Tirsenses

- Sandra Marlene Ferreira Monteiro – Bombeiro 2ª Classe da AHBV Tirsenses

- José Domingos Araújo Paiva – Bombeiro 2ª Classe da AHBV Tirsenses

- Pedro Daniel Rodrigues Sousa – Bombeiro 2ª Classe da AHBV Tirsenses

- António Agostinho Magalhães Marinho – Bombeiro 3ª Classe da AHBV Tirsenses

- Fernando Manuel Paiva Carneiro – Bombeiro 3ª Classe da AHBV Tirsenses

- Carlos Alberto Freitas Silva – Bombeiro 3ª Classe da AHBV Tirsenses

- Cristina Mariana Ferreira Pinto Guimarães – Bombeiro 3ª Classe da AHBV Tirsenses

- Carlos Alberto Oliveira Monteiro – Bombeiro 3ª Supra da AHBV Tirsenses

- José Manuel Martins Lopes Gonçalves, bombeiro de 1ª Classe da AHBV de V. Aves

- Raul Horácio da Silva Oliveira, Bombeiro de 1ª Classe da AHBV de Vila das Aves

- Luís Miguel Teixeira Borges – Bombeiro 3ª da AHBV de Santo Tirso

- Adriano Andrade Barros – Bombeiro 3ª da AHBV de Santo Tirso

- Carlos Alberto Rêgo – Bombeiro 3ª da AHBV de Santo Tirso

- António Basílio Gomes Coelho – Bombeiro 3ª da AHBV de Santo Tirso

- António Manuel Alves Silva Nunes – Bombeiro 3ª da AHBV de Santo Tirso

- Domingos Gomes de Andrade – Bombeiro 2ª da AHBV de Santo Tirso

- Pedro Jorge Moreira Matos – Bombeiro 1ª da AHBV de Santo Tirso

A sessão solene terminou com a entrega da Medalha de Mérito Municipal a Augusto da Silva Salgado (foto), Chefe do Quadro Honorário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Tirsenses, cujo exemplar percurso profissional enquanto bombeiro e dirigente mereceu o reconhecido publico por parte da Câmara Municipal de Santo Tirso. A sua progressão nos bombeiros começou em 1961 então jovem aspirante, tendo chegado aos postos de chefia em 1995 (então como sub-chefe) e mais tarde em 2003 (como chefe). Foram mais de 48 anos dedicados aos Bombeiros, exercendo as suas funções sempre com elevado espírito de responsabilidade e abnegação e pela sua constante preocupação em aperfeiçoar os seus conhecimentos para melhor poder exercer as suas funções. Numa época em que é importante incentivar o voluntariado, a atribuição desta Medalha de Mérito pretende ser também o reconhecimento do município pelo importante papel dos bombeiros para a comunidade, esperando-se que a dedicação do homenageado a esta causa possa servir de exemplo aos jovens do nosso tempo.

http://www.cm-stirso.pt/

quinta-feira, 14 de maio de 2009

ACÇÃO SOCIAL EM DESTAQUE

11-05-2009

O Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, o Vice-presidente, Luís Freitas, e as Vereadoras Júlia Godinho e Ana Maria Ferreira apresentaram, esta manhã, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em conferência, contando com a presença de muitos representantes do CLAS – Conselho Local de Acção Social, as principais actividades integradas na Semana da Acção Social que decorre de 11 a 15 de Maio e as que foram desenvolvidas na área de Acção Social em 2008, bem como as suas repercussões para os tempos vindouros, que envolvem transversalmente muitas actividades camarárias.

Durante toda este semana serão várias as acções levadas a efeito abrangendo várias temáticas que vão desde a Habitação até à Acção Social Escolar, passando pelos apoios às Pessoas com Deficiência e à População Sénior, e pelos combates à Toxicodependência e à Exclusão Social. No que toca ao tema da deficiência e em articulação com a CAID – Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente, serão realizadas acções de sensibilização, dirigidas a pais e técnicos, sobre nutrição e sexualidade na deficiência. Ao longo de toda a semana, estará estacionada na Praça do Município a “net.sobre_rod@s”, uma unidade móvel adaptada às tecnologias de informação e comunicação que tem vindo a apoiar a população residente nos bairros sociais de gestão municipal. É também nestes bairros que decorrerão sessões de informação sobre conflitos de consumo no âmbito do sobreendividamento. O encerramento desta semana dá-se no dia 15 de Maio – Dia Internacional da Família – com a realização de um espectáculo no Cine Aves, em Vila das Aves, às 21 horas. Esta iniciativa terá a colaboração do grupo de teatro amador de Monte Córdova, com a apresentação da peça “Casa de Pais”.

Sobre as actividades realizadas durante o ano passado temos que:

Uma Rede Social dinâmica – mais equipamentos

A Rede Social de Santo Tirso vai contar, proximamente, com “novos equipamentos muito importantes”, afirmou Castro Fernandes, referindo-se às novas valências da ASSTIR – Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Rebordões e da AS – Associação de Solidariedade Social de S. Martinho do Campo, cujo investimento ronda os 3,5 milhões de euros, tratando-se de valências, um “complemento familiar que permite uma maior estruturação da família”. A estes, acresce a nova creche do Centro Social e Paroquial de Vilarinho, também aprovado pelo PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais. Outras entidades, nomeadamente a Cruz Vermelha Portuguesa, a CAID - Cooperativa de Apoio à Integração Infantil, os Centros Sociais e Paroquiais de Vilarinho, Água Longa, S. Tiago da Carreira e a S. Tiago Associação de Solidariedade Social de Areias, apresentaram recentemente as suas candidaturas ao POPH – Programa Operacional de Potencial Humano. Castro Fernandes anunciou ainda que está a ser elaborado um estudo actualizado sobre a deficiência no concelho e que está a ser elaborado pelas IPSS do concelho, a Casa do Sol Nascente e a Universidade do Minho, tendo como data prevista de conclusão o final deste ano. No âmbito do contrato local de desenvolvimento, o município disponibiliza dois importantes serviços aos seus habitantes: a net.sobre_rod@s, que estará durante esta semana na Praça 25 de Abril, para receber as inscrições do programa Ocupação Jovem, e o Centro de Recursos e Qualificação, no qual se insere o Espaço In_Jovem, local onde os jovens podem esclarecer anonimamente as suas dúvidas, sobre variados temas.

Ginástica Geriátrica, Cinema, Actividades Culturais, Universidade... Os idosos de Santo Tirso não páram

A população sénior em Santo Tirso tem ao seu dispor o Cartão +Vida, que já tem mais de 3 mil utentes, que lhes dá “acesso a todos os equipamentos da autarquia, isenção e redução de taxas em determinados locais e prioridade no acesso a determinados serviços”, como o programa +Saber, afirma Castro Fernandes. As actividades dedicadas aos idosos não se ficam por aqui: todos os anos decorre o passeio anual, a comemoração do Dia dos Avós, “Baila Comigo”; bem como as sessões semanais de cinema “para séniores e jovens na Biblioteca Municipal”. Sem esquecer ainda a Universidade Sénior que já começa a ser pequena para tantos alunos, a ginástica geriátrica, a dinamização dos centros de convívio e os passeios a nível local, como as idas ao Parque Urbano da Rabada, e nacional.

Desconcentração é o rumo certo para a habitação social

Na área da habitação, e no âmbito do PMR – Programa Municipal de Realojamento, já foram entregues quase 350 fogos, num investimento de 20 milhões de euros. São 270 as famílias carenciadas que recebem o Subsídio de Arrendamento, “um número que tem vindo a reduzir” desde a implementação deste programa no concelho. A autarquia de Santo Tirso disponibiliza ainda outros apoios à habitação, como os CDH – Contratos para o Desenvolvimento da Habitação, que permite “comprar uma casa” a um preço inferior, “contribuindo para a regulação do mercado imobiliário”. Consciente da importância de restaurar os edifícios mais antigos, Castro Fernandes anunciou que já foram investidos quase 870 mil euros nos programas de Recuperação de Imóveis Arrendados (RECRIA) e de Imóveis em Propriedade Horizontal (RECRIPH) e no programa de Apoio à Recuperação da Habitação (SOLARH). A prioridade do executivo camarário no que à habitação social diz respeito, traduz-se numa simples medida que se tem verificado muito eficaz: “Santo Tirso sempre aposta na desconcentração”, ou seja, “não concentrar muitos fogos habitacionais no mesmo local”, na medida em que “a habitação em massa dá origem a problemas”.

CAID de Santo Tirso – um caso de sucesso

“A lista de espera para a CAID - Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente, releva a sua importância no apoio aos cidadãos portadores de deficiência”, confessou o Presidente de Câmara, referindo-se a uma instituição possuidora de Sala de Snoezelen e Recuperação, com formação profissional para os utentes, conseguindo, depois, a sua integração no meio empresarial. Esta infra-estrutura tem neste momento 32 utentes, aos quais se acresce 16 que se encontram em formação visando uma entrada no mundo do trabalho.

Mais de dois milhões de euros em acção social escolar

“Um valor que ninguém vê e que sai dos orçamentos autárquicos”. Foi desta forma que Castro Fernandes se referiu aos apoios prestados pela Câmara no âmbito da acção social escolar que, só no que aos transportes diz respeito, abrange quase 4 mil alunos, num investimento que ronda um milhão de euros. Para os livros e restante material escolar, o Edil Tirsense ajudou 2875 crianças e jovens, tendo o investimento ultrapassado os 170 mil euros. Sabendo da importância de uma alimentação correcta e equilibrada, a autarquia investiu cerca de 290 mil euros em refeições escolares por ano. Não esquecendo que o divertimento também é fundamental para um crescimento saudável, Castro Fernandes revelou que em actividades extra-curriculares (AEC), como inglês, música, expressão artística, o investimento atingiu quase 700 mil euros, tendo sido abrangidos 2879 alunos, num total de 116 docentes. Seguindo a mesma política e pensando na ocupação dos jovens nas férias de Verão, a Câmara Municipal de Santo Tirso investiu, em 2008, mais de 47 mil euros em três programas: Férias Activas, dos 12 aos 15 anos; Ocupação Jovem, para jovens dos 16 aos 25 anos que, devidamente “orientados e coordenados” auxiliam na prevenção de incêndios, em colónias de férias, além de apoio logísitco e de secretariado; e as Férias Divertidas, destinadas aos jovens dos conjuntos habitacionais de gestão municipal. O Edil Tirsense acredita que “tem de haver toda uma actividade que acompanhe os jovens, que os empregue”, daí a prioridade a este tipo de iniciativas que “já têm dado resultados positivos.”

Santo Tirso oferece alternativas aos grupos de risco

A CPCJ – Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, de Santo Tirso fornece um apoio fundamental aos seus jovens em áreas como segurança social, saúde ou educação, tudo isto devidamente acompanhado por um grupo técnico, constituído por assistente social, psicólogo e psicopedagoga. Mas existe ainda outra consulta descentralizada no concelho, destinada a toxicodependentes e alcoólicos, tratando-se “de uma grande conquista para Santo Tirso, porque antigamente os nossos doentes precisavam de ir à consulta ao Porto e hoje são os médicos que vêm ao concelho”, afirmou Castro Fernandes. O Programa de Respostas Integradas, do Instituto da Droga e Toxicodependência, conta também com uma comparticipação anual da autarquia, quer na prevenção primária, quer nos apartamentos de preparação para a reinserção social.

O apoio aos habitantes

O Departamento de Acção Socal de Santo Tirso tem, neste momento, 70 processos abertos no Gabinete de Apoio ao Emigrante, algo que, segundo o Presidente de Câmara, “envolve muito tempo de acompanhamento”, em sectores como segurança social, benefícios fiscais e sociais, entre outros. No que diz respeito a outras áreas de intervenção, existe ainda o RSI - Rendimento Social de Inserção, que beneficia 1284 famílias no concelho, das quais 163 são acompanhadas pelos Serviços de Acção Social; o Gabinete Jurídico e o Atendimento Integrado, que passará a funcionar na futura Loja do Cidadão de 2ª Geração.

Uma nota positiva para o Departamento de Acção Social da Câmara Municipal de Santo Tirso que, em 2008, registou mais de 4600 atendimentos, sendo as áreas de Gestão de Bairros, Subsídio de Arrendamento e RSI as que registam os valores mais elevados.

http://www.cm-stirso.pt/